Monumento aos Heróis Nacionais

National Heroes Monument

Ano:

1976

20 anos de heroísmo merecem monumento.
Uma causa em que se acredita.
Uma confiança a corresponder.
Um mês para o pensar e o fazer.
Uma amigo-irmão com quem pensá-lo: o António Quadros, antes de tudo grande construtor. Depois tudo o mais.
Uma ideia simples, muito directa e acessível a todos. Universal, mais que simbólica.
A estrela do socialismo internacional-crença (generosa) de quem, também por ele, morreu.
Do quê ao como algum saber o que são os materiais, como se pode moldar a topografia, o que a luz tem de reversível, da hipótese adiada (até hoje) do ambiente de floresta permitida...um dia...um dia.
Ficou então assim nu. Sozinho menos explicado, mais exposto, menos misterioso.
Pena é que se não perceba o que o herói tem de misterioso. Até para si próprio.
Um muro, moral, envolvente histórico completou-o. Incompletamente.

20 years of heroic deeds deserve a monument.
A cause to believed.
A trust to be corresponded.
One month to think it and to build it.
A brother-friend with whom to think it: António Quadros, who was before any other virtue, a great builder. After this, all else.
A simple idea, direct and accessible to everyone.
Universal, beyond being symbolic.
The Socialist star, international belief (generous) of throne that for it also died.
From the what to the how, the need for some wisdom about materials, how to shape the topography, on how light can be reversed and of the postponed possibility (up to today) of the forest to be allowed…one day…one day.
It was left as it is, naked. Alone, less explained, more exposed, less mysterious.
A pity that it does not explain the mystery of the hero, even to himself.
A mural, moral, historic wrapping completed it. Not completely.